You are here:--1300 pessoas com cancro do pâncreas, todos os anos, em Portugal

1300 pessoas com cancro do pâncreas, todos os anos, em Portugal

A World Pancreatic Cancer Coalition assinala, pelo terceiro ano consecutivo, o Dia Mundial do Cancro do Pâncreas com o lançamento de um movimento de sensibilização em todo o Mundo. “In It Together” tem o objetivo de informar a sociedade sobre aquele que é o cancro com a mais baixa sobrevivência e dar voz às pessoas que lutam contra esta doença. Em Portugal, a iniciativa é apresentada a 17 de Novembro, pelas 17h30, no Simpósio Nacional da Sociedade Portuguesa de Oncologia, na Figueira da Foz.

A World Pancreatic Cancer Coalition junta entidades de todo o mundo na sensibilização e aumento de conhecimento sobre o cancro do pâncreas. Constituída por peritos, académicos, doentes, médicos e decisores políticos, pretende despertar a sociedade civil para a gravidade da elevada mortalidade desta doença, a sua sintomatologia e os fatores de risco. A investigação no carcinoma do pâncreas recebe menos de 2% de todos os financiamentos para a investigação do cancro na Europa. É urgente inverter esta tendência e potenciar o investimento de forma a melhorar e aumentar a investigação.

Vitor Neves, presidente da Europacolon Portugal, membro fundador da Coligação, lança o repto aos Portugueses: “De acordo com um estudo global, 60% das pessoas desconhecem sintomatologia e áreas de risco sobre o cancro do pâncreas, dado que vem evidenciar a importância do trabalho desenvolvido pela Coligação. A informação e participação dos cidadãos é fundamental para a promoção e a disseminação do conhecimento de forma a podermos potenciar a sua deteção precoce. É importante que os Portugueses se envolvam nesta causa, tratando-se de uma doença que afeta, por ano, no nosso país, cerca de 1300 pessoas e que tem a taxa de mortalidade mais elevada”.

Para 2016, a Coligação preparou a campanha “In It Together” que disponibiliza informação e desafia toda a população a unir-se na luta contra a doença que tem uma taxa de sobrevivência muito reduzida. Apesar de o número de novos casos anuais ser inferior a outros tipos de cancro, se nada for feito, será a quarta causa de morte por cancro no mundo em 2020. Apela-se ao apoio à causa através da partilha de posts, fotografias e a utilização de roupa roxa, cor que representa o cancro do pâncreas, no Facebook, Instagram e Twitter, com a utilização dos tags @worldpancreaticcancerday, @worldpancreatic e hashtag #WPCD. Está, ainda, disponível no Youtube, um vídeo de apoio à campanha para ser partilhado.

Em Portugal, a iniciativa será apresentada numa sessão, inserida no Simpósio Nacional SPO 2016 , promovido pela Sociedade Portuguesa de Oncologia, na Figueira da Foz a 17 de Novembro, pelas 17h30. Neste evento será debatido o impacto do cancro do pâncreas nos doentes, a importância de um diagnóstico atempado e o que se faz na Europa e em Portugal para dar respostas às principais dificuldades dos doentes, cuidadores, especialistas e associações.

O cancro do pâncreas surge quando células malignas no pâncreas, um órgão glandular localizado atrás do estômago, se começam a multiplicar e formam uma massa. Meramente 2 a 10% de pessoas diagnosticadas sobrevivem cinco anos. “O carcinoma pancreático é o único cancro cuja mortalidade tem aumentado em ambos os sexos, comparativamente a outros tipos de cancro, pelo que é essencial promover-se a importância da investigação e desenvolvimento por parte do sector privado e do sector público”, acrescenta o presidente da Europacolon.
Esta plataforma mundial, em Portugal, é apoiada pela biofarmacêutica Celgene.

By | 2018-04-10T12:07:23+01:00 Novembro 24th, 2016|Categories: NOTÍCIAS|0 Comments

About the Author:

Leave A Comment